sábado, 19 de novembro de 2011

Saudade de você...


Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.

Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu, enlouquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?

Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.

Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste


(Carlos Drummond de Andrade)




Porque metade de mim é partida, mas a outra metade é saudade...


Deixa apresentar a vcs
Esse é Deogénes de souza Fonseca (Di) 30 anos
Meu cunhado.
Foi assassinado dia 16/11/2011





7 comentários:

  1. poxa fabi, essa é a perda mais cruel... lima nossas esperanças, suscita nossa raiva, aumenta nossas dúvidas sobre oq está acontecendo com este mundo e multiplica nossos medos...
    espero que seu coração recebe as energias do bem que mandamos pra vc junto com um desejo de que aja muita força dentro de ti!

    um forte abraço!

    ResponderExcluir
  2. Poxa Amiga, sinto muito...
    Essa é uma dor, que nenhuma palavra é capaz de amenizar, pode deixar que oro sim...
    Que Papai do Céu guarde o coração dos seus aí, e passe neles Seu bálsamo. Conta comigo, viu?
    Sei que estou sumida, mas é que anda uma correria aqui, mas pode contar comigo...
    Fica com Deus aí. Um abraço bem apertado!
    Bjoo..♥

    ResponderExcluir
  3. Faby, minha querida, li teu comentário e agora o post...

    Meu Deus...como sinto vergonha de ser humana frente a essas brutalidades!

    Lamento, quero que sinta meu abraço.

    =*

    ResponderExcluir
  4. Uma cama amarrotada pela passagem do amor
    Lençóis que aprisionam o calor
    Suspiros espalhados pelo chão
    Uma imagem santificada sustenta o louvor

    Uma pecadora ungida pela chuva
    A sorte e a morte em bravata eterna
    As ave marias que uma boca vomita
    Para no céu ser, clemente a sua pena

    Já não há xailes negros na ilha
    Já ninguém liga a agoiros
    O mar continua açoitar a costa
    Deixando despojos, tesouros

    Terno beijo

    ResponderExcluir
  5. oh minha flor !
    estarei orando sim !
    para que Deus conforte sua família tá !
    obrigada pela visita
    e lembre-se o Senhor é com vcs !
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Papai do Céu está olhando por vocês ...
    Um beijo doce.

    ResponderExcluir
  7. Desculpe a demora em comentar aqui, mas saiba que por meu coração enviei muito carinho.

    Que Deus abençoe você e a sua família sempre
    um abraço

    ResponderExcluir